sábado, 13 de dezembro de 2008



O gloriares


essas tuas pálpebras floridas
lançam perfumes de uma morte
consumindo as dores da vida
me presenteando com a sorte

de me perder no teu decóte
e seres em mim, doce margarida
flor divina, teus espinhos suporte

eu a tua tristeza, o teu mal-me-quer
seja eu o teu mais lírico cantor
delirando tuas harmonias de mulher

dedilhando teu prazer, teu amor
suspiros de um eterno bem-me-quer
botão de rosa, oh glorificada flor !

Sergio, beija-flor poeta

Independência



Nós somos jovens e buscamos o nosso ideal,
estrela de uma esperança no mundo social.
Mas o jovem,para ele poder ser o futuro,
ele tem que lutar, fazer parte do presente,

estudar o passado - pra ser no mundo gente.
Grito independência - não podemos viver assim,

todos subordinados a esse meio social ruim
que diz sermos inúteis - não servimos pra nada,

que temos a mente poluída e marginalizada.
Como a sociedade diz que somos a esperança,

se no momento presente nao nos deposita confiança !?!

A partir deste instante - eu declaro ao mundo guerra -
lutamos por nossos direitos - em qualquer canto da terra.

E grito independência - não podemos viver assim,
tantos subordinados a esse meio social ruim.

Apesar de todos os males que este meio social é,
com amor lutamos- lutaremos: Por paz - pela fé

Coroata-Maranhão, nas margens do rio Itapecurú,
e saboreando a fruta indígena do teu nome : Croatá

Sergio, beija-flor poeta

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Jeito de falar

video


deixe-me dispetalar teu seio
entrar nesse teu pensamento nu
dispido sensualmente pelo amor
contido dentro do teu ser mulher

e teu olhar de mariposa me quer
declarar teus mistérios tua dor
de seres beijada pelo beija-flor
que, mesmo pairando no ar,

bate as asas e voa no teu amar
desejos de uma flor purpurina
jeitosa ao falar dos anseios

e se entregar felinamente a sina
de me fisgares no teu pleno beijo
dessa paixão que nos alucina

Sergio, beija-flor poeta

video

Feliz natal




Feliz natal

e se me comportei
é porque a distância é muito grande,

mas o pensamento está cheio
de pecados, curiosidades, mistérios,
felicidades dessa musa inspiradora,
dessa amiga sincera,
dessa mulher leal.

És um Deus nos acuda.
nem papai noel resistiria a pétalas
perfumadas assim como
as do teu ser.
não sonhe a vida inteira,
viva o seu sonho.

ah, já dissestes hoje
ao gavião apaixonado
que o amas ?

Um feliz natal

Sergio Beija-Flor poeta

Amar a mara




e me adoras, e me amas
e me detestas, e me enganas
e me desejas, e me espantas
e me enfloras, e me encantas

e me desfrutas, e me espancas
e me atormentas, e me insanas
e me sensualizas, e me desencantas
e me enamoras, e me enflamas

essa tua exuberança
nasceu do teu ser criança
ingênua de um nada
sábia de um tudo

o beija-tua-flor te ama
vestida de seda ,
banhada de mel

transparentes são tuas chamas
me queimando de amores
clareando meu céu infinito

Sérgio,Beija-Flor
Pensamentos distraídos

não me contive
e procurei teus erros
ainda ontem a noite,
com pincetas
e lentes de aumento...

e o que encontrei?
amores,
somente amores
e mais amores
nada mais do que
eternos amores

foi uma decepção
que me causou felicidades
e me fez te amar ainda mais
talvez seja
essa cegueira
esse sentimento
essa ternura
essa nostalgia
essa música
que és na minha vida

sergio
Medo do amares


todo mundo é poeta
até o pensares não ser,
trata-se de poeta...
as pessoas devem perder o medo
de se declararem
a quem tando se ama,
e isso a poesia vai ajudar muito.

É esse o sentido da poesia.
As pessoas devem
perder o medo
de se entregarem a quem se ama,
de dizer:
eu te amo !


Sergio, o beija-flor poeta

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Desejo



É noite e a lua está bela
As estrelas adornam o céu
Imagino-te doce fera
Vestida num frouxo véu

Como a brisa deixa ver o horizonte
As aves, os riachos e os montes
O véu me permitirá ver
Com magia, cada parte de você

Ah, como posso ser audacioso?
E desejá-la com fervor
Sentí-la no que há de gostoso

Entre a vontade e a dor
Numa harmonia graciosa
En eternas ondas de amor




Brasília-DF

Coração ateu



não batas nunca na porta do meu coração
pois ele sempre estará aberto para você
não peças desculpas pela paixão
felicidades é o amor que te faz viver

não tente pular pela janela na escuridão
de um triste pensares, de um triste sofrer
entre em mim pela minhas retinas: portão
que quem deseja ver feliz o teu viver

e se relembrares um dia o amor perdido
é poque há tempos o teu seio esqueceu
aquele espinho, que teu amor sofrido

nunca nessa vida, nem na morte te mereceu
viver no teu jardim de lindas rosas florido
quem no amor não acredita, há de morrer um pobre ateu

Sergio, beija-flor poeta
carinhos de um beija-flor poeta

se um dia quiseres desabafar com alguem,
soltar os cachorros encima desse seu poeta
não esconda tuas dores em um vestir de festa
pois se alguem sorrir contigo, nada mais alem

do que se alimentar da dor que somente resta
mesmo que acredites, a vida não vale o que tem
sempre existem nas janelas uma pequenina fresta
que se afaste o mal-querer, e renasça me-quer-bem

sempre existirá um novo ser acreditando em tí
mesmo no teu desespero, dar-te-á um meigo sorir
tu, nas tuas dúvidas, decepções, desamores

hás de encontrar a sensibilidade de um beija-flores
fazendo-te gargalhar nessa maré alta, cheia de si
mesma, na certeza que em teu seio vive o amores

Sergio, beija-flor poeta
sem voz

esse silêncio matutino me rouba a voz
fosses tu, minha reluzente estrela noturna
sereia, princesa, rainha, minha algoz
sou bandido - roubando o teu coração de musa

mulher felina, menina rosa, meus gira-sóis
são teus olhares de lua repentina, suja
de batom nos lábios do teu beijo- caracois
enrrolados em mim, que eu de tí não fuja

e se me declaro ao teu seio de mulher
esqueci um instante do universo e me prendí
dentro de um bem-me-quer

são teus lábios que mais desejo, sabes como é ?
então vou te seduzindo, e te cantando eu contesto
se não me amas na vazante da maré

Sergio, beija-flor poeta
video


Um sonho de mulher



é quase meia noite e meia
do outro lado do mundo
circula a vida ainda agitada
parada apenas
nas pétalas estreladas
de um pensar
humano
cheio de vontade
de se transformar
em um flóco de neve
ser levado nos braços do vento
e se transformar
em gotas de orvalho
humidecendo o teu seio
e fazendo nascer a semente
da rosa que és
abrindo o botão da tua flor
encantada
pelo tempo
querendo ser amada
querendo viver
o sonho de ontem
se entregando nos braços
e se afogar nos abraços
dos beijos sedentos
apaixonados
buscando tua forma perfeita
de seres o que exatamente és:
um mulher cheia de vida
de encantos
acalantos
dores
felicidades
harmonias
alegrias
tristezas
princesa
rainha
donzela
ingenua no nada
sábia no tudo
na inteligencia
na sensualidade
no teu eterno amares
no teu eterno falares
no teu mais doce sussurrar
palavras - não ao vento,
mas aos meus ouvidos
na hora do teu ponto final
o início de um todo
do teu gozo em meu ser homem
me fazendo mulher contigo
sendo homem comigo
me amando
me consumindo
me digerindo
me amando
se embriagando
como se eu fosse a tua
champanha francesa
na mesa do teu quarto
na práia lotada de gente
deserta para nós
deserta para o nosso eterno amar
como se fossemos adolescentes
na flor da idade
amando pela primeira vez
e te direi,
oh flor
sejas minha



Sergio, Beija-flor poeta

Beijo roubado

ainda fatigado da virgindade da aurora
nesse lindo dia amanhecendo
com o sol raiando a felicidade
do teu tão esperado amor ao vento

pairando entre montanhas e cidades
e eu, alcoviteiro, procuro em tí o meu alento
revivendo a minha mais louca mocidade
quando em teu seio meu amor vivendo

sem que esperes ansiosa um segundo
em galopes, canções, fados no agalopar
vou ao teu encontro, minha vida, meu mundo

e alí no horizonde, teus beijos ao luar
e sinto-me o perfurar dos teus espinhos, profundo
amares noite a dentro, a fora, meu eterno enamorar


Beijos de um Beija-flor


Aconchego

e adormeço entre plumas e pétalas,
sinto-me enroscado no teu botão
de rosa, cujo saboroso néctar
cura as cicatrizes do meu pobre coração

totalmente circulando a tua esfera,
suspirando teu perfume, nossa emoção.
teu licor derramado no final da espera
desse amor: sentimentos da nossa paixão

esse meu jeito de bater asas e voar
para dentro de tí, minha formosa flora
acariciada pelo orvalho do meu amar

balarina da serenata a tua janela, celeste luar
encantando o mais doce sentimento: o amor
cavalgando, entramos no paraíso do eternizar.

Sergio, o Beija-Flor poeta

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Mal de amor
.
.
oi, quanto tempo,
( risos de alegria e felicidades )
que bom te ver.
estava com saudades de você, ...
esperando para me tirar da solidadão,
oh minha musa
sem você é meio triste e meio nada
passei o dia tod
querendo me declarar
para você
e te dizer palavrões incansáveis de ouvires;
te amo
te adoro
te quero
sinto sua falta
me sinto perdio sem teus carinhos
sem você
sem inspiração!
eu só escrevo o
o que sinto
essa poesia
espelhando a vida toda em tí,
gerando, nascendonovas poesias
semprere cheio de inspirações
e sensibilidade
Risos...imagine, quem sou eu/
minha musa,
amiga
inimiga
minha paixão poética
nada mais,
que um simples sentimento
preso
amarrado
em tí
ás vezes chego a confundir
poesia com poesia
poesia com amor
poesia com paixão
poesia contigo mesma
e ouço um beija-flor me perguntando:
Quem sou eu ?
É poesia, não é ?
Eu me pergunto.
Você acha?
Sim !
“quem sou eu ?”
eu sou o inesperado
a surpresa sussurrada
baixinho ao teu ouvido
a visão perdida no teu decote
o sabor ardente dos teus lábios
eu, me perdendo nessa tua
sensualidade total
e derrepente a certeza infinda
da afirmação sem dúvidas:
é verdade, é demais !
eu sou aquele
que mergulha nas tuas retinas e
einvade carinhosamente teu seio
se deleitando do teu prazer
do romantismo!
vivendo o teu ser mulher
me afogando na tua praia
nadando no teu mar
velejando tuas ondas
Que linda és tu, oh formosa violeta!!
Quero eu, um Beija-flor poeta
me afogar no nosso prazer
e ainda me perguto:
quem sou eu ?
eu sou aquele que te seduz
que te consome
mas que não somente
te admira demais!!!
nem somente quer fazer amor
porém – que quer compreensão
carinho
amizade
felicidade
sensualidade
desvendando seus mistérios
afagando e alimentando
essa curiosade invadindo teu ventre
dispetalando o teu coracao em dois
derramando teu néctar em mim
saciando minha sede
tu: meu remédio
minha cura
e minha loucura ao mesmo tempo
te quero quero poesia na minha vida !
Antes que fiquemos loucos de saudades
para te deixar toda maluca
toda molhadinha de suor
e mil de desejo
cheia de paixão e muito carinho
não quero te levar ao sétimo céu
quero que fiques perto de mim
quando escutar teus suspiros felinos
teus sussuros
e tuas risadas
como se ainda fosses uma mulher
virgem,
na primeira noite
de amor eterno.
Que lindo!!!
Ah...isso não deve ser somente poesia
começo a sonhar
e a viver a realidade
dessa minha vida ainda dissipada
e, na escuridão da noite
procuro teus olhos
distantes dos meus
quisera estar mirando
o meu espelho
nos teus olhos
e sentir o reflexo
totalmente enamorado
dos meus sentimentos
de tí mesma
dentro do teu seio
e poder roubar-te um beijo
em risos faceiros
de uma curiosidade feminina
invadindo a minha alma
a não conter
tanta curiosidade transbordando
meu ítimo, explodindo pelo brilho
dos meus olhos
quando o meu coração
bombeia aceleradamente
meu pulsar avermelhado
me enchendo de uma vivacidade
desse carinho sensual
que me leva a suspirar teu nome
baixinho, movimentando meus lábios
já secos pelo desejo de te abraçar
e então a pergunta matuta a mente
e meus dedos não se contêm
em te repetir a pergunta disfarçadamente,
meio tímida, meio curiosa,
tu, muito mais mulher e eu, muito mais eu:
viajando na harmonia de teu seio
seio, sinônimo de coração
com um sentimento e um sentido mais profundo
metáforas da vida
pois embaixo do seio pulsa o coração
materno, alimentando a humanidade
ainda criança, através do suco materno,
muito antes mesmo que ela aprenda a se expressar.
O teu seio, oh menina vadia, é símbolo de vida
Profunda... beleza mais inteligente...mais do que linda!
Transbordando essa tua sensibilidade de mulher
Passa da meia noite e meia,
a auróra vem querendo mostrar
seus primeiros ráios vermelhos,
multicores começam a querer tomar conta do céu
e fico muito feliz de tê-la tido por inteira
nessa existencia do que és
musa inspiradora e causa, e motivo
de ser um beija-flor poeta
e tudo se transforma
As vezes penso que não vou ter inspiração
fico angustiado
Aí...ela vem de repente
e invade o meu ser
e tudo pode se transformar em poesia:
quer seja indecente
educada
brava
amorosa
tudo
encantada
feliz...
cheia de sonhos
de fantasias
de realidades
de sinceridade
de amizade
e nós, cheios de desejos, segredos
e mistérios a desvendar
talvez com num longo beijo
até pegarmos fogo
e adormecermos como dois anjos
no paríso da vida eternizada pelo nosso amor.


Sergio, Beija-Flor poeta e Teresa.

Amo você


eu não posso devolver o pulsares
chamas ardentes do amor latente em tí
e tal dor do peito insano arrancares
e essa tristeza:... num beijo a ti fazer feliz

quando, quase eternamente, as ansiedades
do calor dos teus meigos lábios sentí
vivendo esse sonho, matando as saudades
e eu, que de paixão em teus braços me perdi

quando na maré de teus olhos me afoguei
bebendo, sugando, matando a saudade infinda
e esqueci de mim mesmo quando te amei

e agora me sinto um bem-te-vi, oh íris purpurina
visão do cego que fui, do louco que nem sei
quão infindo é o meu amares por tí, oh rainha !
Sergio

Lágrimas de orvalho


por quê derramas gotas de orvalho em mim
como se o mar desta vida estivesse em chama
se me enches de beijos, me socorrendo assim
como se estivesse pegado fogo no rio amazonas

e se me pego atormentado na sequidão mundana
queria permanescer um eterno selvagem, um curumim
que em promessas acreditou e vive essa vida insanan
as margens da avenida paulista, ouro de tolo, feito marfim

e esse teus sentimentos desvairados descontentes
amargurados pela própria dor humana ,escandalosa
como tempestade de areia nos olhos que de repente

cegaram-se ao te ver toda linda, toda vaidosa
com teus cabelos negros, encaracolados qual serpente
queria te-la somente um segundo,um minuto, uma hora

Sergio, o beija - flor poeta

Você é linda

se dizer que não, estaria me enganando
se dizer que sim, estou me declarando
se dizer que nao, mataria a chance de te amar
se dizer que sim, quero contigo sonhar

se dizer que sim, estarei teu amor alimentando
se dizer que não, estarei na mentira me afogando
se dizer que sim, estarei nessa loucura de cantar
se dizer que sim, estarei dando motivos para cavalgar

Adore dizer que sim, pois assim estarei perto de tí
A dizer que não, quando ao sim não poder resistír
A dizer que sim, a dizer que não, quando o meu coração

Estiver sofrendo, sem poder te amar, minha doce paixão
E nunca vou querer aos teus apelos de princesa resistir
Direi entao sempre sim, pois és minha vida, minha razão.

Sergio,Beija - Flor

Doce fera

Doce fera


esses teus lábios suspiram a minha voz
quando os meus os acariciam, num beijo
quando nossos olhares se encontram, anseio
essa provocacao, essa saudade veloz

emudecida entre nós, amor: tradução algoz
essencia da tua alma se corroendo em teu seio
em chamas desse amor habitando em nós
um só coração batendo por inteiro

quando em teus abraços me perco
e sinto a essencia do teu ser, oh bela
se em tí, de amores, morrer mereço

que seja eu a tua mais doce fera
cantando a nossa linda canção, o começo
de um nós, que meu ser tanto espera

Sergio, Beija-flor poeta
Paris















Beijas: oh flor.


Essa tua rosa querida
se enflora na minha vida
e me deixa apaixonado
pelo teu néctar transpirado

de tua flor, minha preferida,
transbordando meu peito alado,
curando com amores a ferida
deste teu eterno amado,

desfrutando os teus lábios quentes,
despetalando teu coração sedutor,
teu fã número um, que está presente

no teu seio transbordado de amor,...
que se enflama quando senti
os carinhos nos beijos do teu beja-flor.

Beija-Flor

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Meu pensar

A asa
que bate
no céu
não é a do vento

A asa
que esvoaça
a brisa
não se molha

A asa
que toca
as nuvens
não sofre
a queda,
continua voando

A asa
que no universo
flutua
é parte
do meu pensar
que te procura


Sergio - Coroatá-MA

Louvor




Ave,
Maria

que a vida traz


Ave !
Onde está a Maria!?!


Maria,
Ave que vai
voando para o céu,


que aos pés

da cruz

não estais


Ave!
Maria:
sonho de mãe
Maria: ave de paz



Sergio - Coroatá-Ma
Blog editado por Deborah Schcolnic
ao Beija-Flor Poeta e amigo

Sérgio Gonçalves dos Santos, nascido numa segundona, dia 10 de fevereiro de 1969 no hospital e casa de maternidade Pe. Antonio Vieira em Coroatá- Ma. Descendente de português, arabe, holandês e indiano brasileiro Sérgio teve sua infância e sua vida escolar
na sua cidade natal, onde fez o curso do magistério no mesmo período que absolvia o curso
de desenho artístico e publicitário. Morou por alguns anos em Guaratinguetá-SP, onde passou um período tendo aulas de pintura e artes plásticas ministradas por um padre alemão que passava seu tempo rezando e pintando. Em Guaratinguetá teve vários poemas publicados no jornal local. Retornando a Coroatá encontrou seu tio que o convidou para ir para Braília passar uma semana, onde ficou três anos trabalhando para uma empresa de móveis, fazendo os designs, no mesmo período era cartunista e caricaturista para um jornal de Brasília. Voltando para São Luis - Ma, ilha do amor e cidade francesa, onde recebeu o convite de ir morar na Alemanha, onde fez o curso de marcenaria e pouco depois concluiu o mestrado nesta mesma área na Academia de Escultores, Marceneiros e Designer na cidade de Garmisch-Patenkirchen no estado de Baviéra - Alemanha. Nosso Beija-Flor Poeta e Amigo começou muito cedo com a poesia, sempre adorou escrever para colocar seus sentimentos no papel e se ver livre de pensares, como ele mesmo gosta de falar, pois seu pai faleceu em um acidente de trabalho quando nosso Beija-Flor tinha apenas seus cinco anos de idade. Brincar com as palavra e um se sentir livre para formular e escrever pensares é algo divino que ele possui, pois tudo acaba em poesia, toda palavra, toda ação, um simples olhar, ele não deixa escapar um floco de neve na praia de copababana em pleno verão, chegando a participar de vários concursos de poesias entre eles o organizado pela Diocese de Coroatá, ocupando o primeiro lugar com a poesia: " Independência "e sendo a ser convidado a integrar coletâneas de poetas brasileiros, o que na época era difícil, pois se havia de fazer parte de um concurso, mas ele sempre esteve dentro. Porém, como por desgosto ou falta de uma musa mesmo, uma rosa, como ele sempre diz, parou de poetizar, achava sua poesias feias, desnutridas, desvairadas.
Recomeçou a escrever no ano de 2000 em Garmisch durante o mestrado, período que começou a estudar música e a tocar Saxofone alto. Essa influência veio do seu tio Pedro que mora em Brasília e tem uma família maravilhosa, seu tio estudou violão clássico, veio então essa existência consciente de Luciano Tapajós e muitos outros artistas dessa vida musical brasileira. A motivação demorou somente um ano, e nosso Poeta escrevera somente em alemão, o que não entendia... Por insistência de sua irmã Esther começou a participar
do Orkut e aos poucos retomou o vício de escrever, estimulado por sua irmã e por pessoas maravilhosas como a Rô Daros, o Afonso, o Gustavo Drummond, Marta Peres - poetisa, escritora e jornalista, por mim mesma, Deborah e muitas pessoas maravilhosas, na maioria mulheres.
Sérgio não fala muito de coração, quando relata o seu carinho pela musa inspiradora no momento, sempre usa
a palavra "seio " para substituir a palavra " coração ", porque ele é consciente de que a sensibilidade maior de uma mulher está nos seios, fonte de vida e alimentação da humanidade, quando esta ainda um bêbe, de olhos ainda fechados, não sabe como enfrentar a vida. Tambem é embaixo do seio que pulsa a vida, o coração feminino. A sua admiração pela pessoa da mulher em geral vem do fato dele ter a mulher como modelo e não como objeto. A mulher é o ponto mais central de suas poesias, de seus pensamentos, de seu respirar, de sua vida. Em Munique, onde vive há quase vinte anos, absolveu o curso de caricaturista e desenhista em quadrinhos, não exercendo essa função como tal, mas como escultor e artista plástico, participando e organizando exposições em muitas cidades na Alemanha. Em todo ele não conta mais quantas exposiçoes fez ou mesmo paricipou, tendo período que chegou a participar de três exposições por ano. Sérgio tem sua própria marcenaria, o que realmente lhe sustenta.
Suas exposições sempre tem fins sociais com apoio a projetos no Brasil ou mesmo na Alemanha. Suas esxposições sempre são feitas com um tema, por exemplo: " O Brasil é um país colorido ", " A Alemanha vista por um artista brasileiro ", " Quatro faces brasileiras ", " Lua cheia ".

O retorno poético de um beija-flor amigo

Quando sérgio entrou no Orkut, veio como um furacão, conquistando todos... ele está se revelando de novo,
não perdeu sua magia poética, seu sensualismo, sua forma de ser compreensivo e amigo. Essa nova descoberta de si mesmo resultou no seu primeiro livro com o título : " Pétala por pétala " que será publicado em Março de 2009 pela Giz Editorial. Com o apoio e a incentivação literária da escritora amiga Regina Drummond que também está envolvida no planejamento juntamente com a poetisa e amiga Ozeni Lima, quem faz as correções e a estrutura inicial dos livros antes de seguirem para Editora. A concordância imediata da Giz Editorial em fazer o lançamento do " Pétalas por pétalas " veio confirmar o seu valor poético. Essa confirmação vem acontecendo por parte de muitos poetas e muitas poetisas, jornalistas e amantes da poesia que estão ativos, não somente no Orkut, mas em toda rede cibernética. O comentário de Rô Daros traduz o pensamento em palavras pelo que imaginamos do nosso Beija-Flor poeta :
" Oi Sergio, vc é uma pessoa iluminada...pq só alguem com muita luz consegue ser arte em tempo integral.E vc é arte... "

Já estamos curiosos e ansiosos para ver e ler e digerir as poesias de Sérgio, o nosso Beija-Flor poeta.

Com carinho e amizade

Deborah